COSTUMA RANGER OS DENTES? CONHEÇA O BRUXISMO.

O bruxismo é, muito basicamente, um mau-funcionamento mandibular que se traduz num movimento do sistema mastigatório involuntário e, muitas vezes, a própria pessoa desconhece que padece deste problema.

Outro nome para esta condição é o “ranger dos dentes”. Este advém do facto da pessoa apertar os dentes superiores contra os inferiores (com força) e movê-los para trás e para a frente, vezes sem conta, resultando no desgaste da dentadura.

Sendo um hábito inconsciente – até ao momento em que alguém lhe diz que range os dentes enquanto dorme ou até que o seu dentista identifique o problema durante uma revisão dentária rigorosa – pode estar a sofrer de dores e desconfortos  inexplicáveis na área bucal, cabeça e pescoço.

Ao não dar importância a este problema pode sofrer graves consequências na sua saúde oral. Como sabe, o bruxismo já foi vivenciado pela maioria das pessoas e, detetado a tempo, pode ser tratado imediatamente.

Algumas pessoas adotam esta manifestação física para libertar altos níveis de stress e ansiedade pelo simples facto de não saberem canalizar estas emoções através de exercícios ou técnicas de relaxamento.

O que origina o bruxismo?

Diversos estudos sugerem o stress como a principal causa deste movimento involuntário. Contudo, existem outros fatores.

Reveja a sua alimentação e os seus hábitos de sono, o consumo excessivo de açúcar pode gerar bruxismo, não descansar as horas recomendadas nem ter uma rotina adequada podem produzir stress. Também um alinhamento incorreto dos dentes ou uma postura incorreta da coluna favorecem o ranger dos dentes. Não esquecer (também) a incapacidade de relaxamento que contribui para um constante estado de stress.

Se conseguir diminuir o seu nível de ansiedade, ter cuidado com a sua rotina, hábitos e alimentação está a contribuir para a sua prevenção pois está a evitar alguns dos aspetos que contribuem para esta condição.

Veja alguns dos sintomas que poderá sentir devido à pressão excessiva exercida nos músculos, tecidos e estruturas que rodeiam a mandíbula e causam problemas na articulação temporomandibular:

– Dor prolongada na cara, ouvido e/ou cabeça.

– Sensibilidade às bebidas e comidas quentes e frias.

– Cansaço da zona maxilar.

-Fraturas ou fissuras nas bordas dos dentes.

-Insónias derivadas do cansaço facial e desconforto.

Como sabe, há diferentes tipos de bruxismo. É importante identificá-los devidamente para que se possa iniciar o tratamento adequado.

Temos o bruxismo cêntrico que é conhecido como o apertar dos dentes. Isto danifica o colo dos dentes e provoca normalmente desgastes cervicais. Tendo em conta a sua posição na mandíbula, os molares são os dentes danificados. Devido à tensão, há também o sintoma de dores de cabeça.

Já o bruxismo excêntrico refere-se ao raspar dos dentes e danifica as bordas dos incisivos e dos molares. O desgaste dos dentes está diretamente relacionado com o padrão definido dos movimentos excessivos da mandíbula.

Para além destes, há também o bruxismo do sono. Como o nome indica, ocorre durante o período de sono e o ruído que causa pode ser bastante desagradável. A menos que tenha alguém que durma a seu lado e lho diga, pode levar uma vida inconsciente do problema.

Por fim, temos o bruxismo de vigília. Ocorre durante do dia e está maioritariamente associado ao stress laboral.

À parte do tipo de bruxismo pode-se também classificá-lo pelo seu grau de acordo com a forma como afeta-o:

– Grau I: Também conhecido como hábito incipiente por não ser agressivo. Acontece ocasionalmente tanto consciente como inconscientemente. É reversível e termina por si só.

– Grau II: Um hábito estabelecido. Já apresenta sinais de ansiedade e consequências de bruxismo como, por exemplo, lesões na dentadura. Neste grau já se iniciam alguns tratamentos para ajudar à diminuição das consequências do problema.

– Grau III: O hábito é poderoso e difícil de controlar, já com movimentos constantes totalmente inevitáveis. Os danos são também consideráveis. Nestes casos, o dentista aplica as técnicas recomendadas para tal.

Como devo tratar o bruxismo?

De forma a aliviar as dores musculares da cara pode-se aplicar uma toalha húmida e quente sobre a mesma. O seu dentista, com a premissa de proteger o esmalte dentário e evitar o desgaste contínuo dos dentes, recomendar-lhe-á a colocação de um protetor bucal superior e inferior para impedir o ranger dos dentes. Apesar de ser uma opção que trata o problema não é uma cura definitiva.

Sendo o bruxismo a consequência de elevados graus de stress e ansiedade, deve aprender a relaxar através de exercícios, meditação ou yoga. O tratamento deve ser planificado e devem-se tirar radiografias para avaliar os danos provocados na dentadura. Recomenda-se também alguns exercícios musculares específicos para libertar a tensão na mandíbula e, em alguns casos, a toma de medicação.

O seu dentista propõe soluções para a sua saúde oral que deverá seguir, da mesma forma que deverá compreender em pleno esta condição. Contudo, para levar um estilo de vida mais tranquilo e aliviar o seu stress e tensões diárias, deverá consultar outros especialistas para uma ajuda neste capítulo.

Se sofre de alguns destes sintomas – ou se considera que padece de bruxismo – vá ao seu dentista. Só assim poderá tratar o seu caso da forma mais conveniente para a sua saúde.